quarta-feira, 8 de julho de 2020

Pão de queijo com ingredientes estrangeiros/ Brazilian cheese bread with non-Brazilian ingredients (or almost)


Morar em outro país me fez aprender muita coisa sobre a minha própria cultura, especialmente no que diz respeito à culinária. Quando eu morava no Brasil eu não tinha dificuldade de achar comida brasileira. Qualquer coisa que eu quisesse comer tinha em alguma padaria, restaurante ou supermercado, mas morando na Inglaterra não é exatamente assim. Eu encontro restaurantes brasileiros em Londres e até mercados brasileiros, mas são em sua maioria longe de onde eu moro, e em época de quarentena isso se tornou mais difícil. Eu tive de aprender a fazer comida brasileira, especialmente porque meu marido ama. O problema era que a maioria das receitas eram do Brasil, com alguns ingredientes às vezes difíceis de serem encontrados por aqui. Procurando por uma receita possível para fazer pão de queijo com ingredientes estrangeiros, eu encontrei essa (clique aqui) que facilitou minha vida e mesmo para quem mora no Brasil essa é uma receita bem prática de pão de queijo. Vou colocar algumas modificações que eu fiz e algumas dicas que eu peguei com outras pessoas.
Living in another country made me learn many things about my own culture, especially about the Brazilian cuisine. When I lived in Brazil, I had no problem about finding Brazilian food. Anything I wanted to eat I could easily find in a bakery, restaurant or supermarket; but now living in England I can’t find it this easily, of course. I can find Brazilian restaurants or shops in London, but they aren’t near my home and during the lockdown things became even more complicated. I had to learn how to cook Brazilian food, especially because my husband loves it. Searching for Brazilian recipes I faced another problem. Some ingredients were difficult to find, then I found this pão de queijo (the Brazilian cheese bread) recipe with some ingredients that I could find here, even for Brazilians this can be an easier recipe. I will say what I changed for this recipe.



A receita pede por polvilho, mas não especifica qual, então fui eu atrás de mais pesquisas. Tanto ou polvilho doce quanto o polvilho azedo podem ser usados, mas eles vão mudar totalmente a textura do pão de queijo. O polvilho azedo dá uma textura aerada, enquanto o polvilho doce dá uma textura de queijo derretido, que eu particularmente gosto mais. E adivinhem só? Eu encontrei polvilho doce num mercado de produtos importados na área onde moro.
The recipe ask for tapioca flour, the most appropriate in my opinion would be manioc starch or sour starch, and I didn’t really know the difference, in Brazilian pão de queijo recipes both are used, then I read an article saying that both can be used but the texture will be completely different. Sour starch will make an aerated bread and the manioc starch will give a melty cheese texture to the bread, I prefer this second option. And guess what? I could find manioc starch in a shop nearby.



Outra substituição importante. No pão de queijo tradicional usa-se queijo minas curado ou meia-cura, porque os queijos muito frescos e macios não são bons para o pão de queijo. A receita pede então para substituir por parmesão e muçarela que eu posso facilmente encontrar em algum supermercado por aqui.
Another important change - for the traditional pão de queijo we use hard Minas Gerais cheese, because soft and fresh cheese doesn’t work well for this. In the recipe I found, they substituted it for Parmesan and mozzarella cheese combined, that I can easily find in a shop.

Vamos à receita:/ Let’s talk about the recipe:

Ingredientes

- 4 xícaras de polvilho doce
- 1 e ¼ de xícara de leite
- ½ de água
- 6 colheres de sopa de óleo vegetal
- 1 e ½ xícara de queijo parmesão ralada
- ½ xícara de muçarela ralada
- 2 ovos grandes
- 2 colheres de chá de sal
+ um pouco de óleo para untar as mãos

Ingredients:
- 4 cups of manioc starch
- 1 and ¼ cups of milk
- ½ cup of water
- 6 table spoons of vegetable oil
- 1 and ½ cups of grated parmesan cheese
- ½ cup of shredded mozzarella cheese
- 2 large eggs
- 2 tea spoons of salt
+ some vegetable oil to grease your hands

- Pré-aqueça o forno à 200ºC;
- Coloque o leite, a água e óleo numa panela e leve ao fogo até levantar fervura;
- Numa tigela coloque o polvilho e o sal e jogue a mistura do leite com a água e o óleo sobre o polvilho e mexa bem;
- Acrescente o queijo e os ovos e mexa até formar uma massa homogênea;
- Quando a mistura não estiver muito quente, unte suas mãos com óleo e pegue pedaços dessa massa (mais ou menos o conteúdo de uma colher de sopa) e faça bolinhas e as coloque numa assadeira. Assar por cerca de 15 a 20 minutos.
- Rende cerca de 30 pães de queijo. Caso não for assar todos no mesmo dia, você pode untar uma bandeja com óleo e colocar os pães-de-queijo (já feito as bolinhas) e levar ao congelador, quando estiverem congelados pode transferir para uma sacola plástica resistente e depois para usá-los pode colocar diretamente numa forma e levar a um forno pré-aquecido. Os pães de queijo congelados devem ser consumidos num período de 6 meses.

-Preheat the oven to 200ºC (or 400ºF);
- Put milk, oil and water in a saucepan and bring to boil;
- In a bowl put the manioc starch and salt, then pour the boiling mix;
- Add cheese and eggs stirring well to combine all the ingredients;
- When the dough cools down a bit, grease your hands using oil and take a small amount of the dough (around one table spoon) and form it into a ball and put them on a baking tray. Bake for 15 to 20minutes.
- You will have approximately 30 pães de queijo. If you don’t want to bake them all in the same day you can grease a tray or a plastic box with some oil and take them to the freezer, after frozen you can transfer to a zip bag and keep in the freezer this way, it’s better eating them in a period of 6 months. For baking after freezing, just pre-heat the oven and place them on a baking tray and bake normally

Eu fiz algumas pequenas modificações na receita, mas eu fiquei bastante satisfeita com o resultado. O sabor e a textura trouxeram memórias do meu país e da minha cultura e espero que experimentem fazer em casa e me digam se gostaram do resultado.
As I said before I changed the original recipe a bit and but I really enjoyed the result. The flavour and the texture brought me memories of my country and my culture. I hope you can try this recipe in home and tell me if you enjoy it.

quarta-feira, 1 de julho de 2020

Ahmad Tea – Uma review para entender mais sobre chá


 Quando eu postei sobre esse chá nos meus stories do Instagram, e também aqui no blog, como sendo parte dos meus presentes de aniversário, muita gente ficou interessada em saber mais. Eu fiz um post anterior contextualizando sobre o chá inglês (confira aqui), o que vai contribuir melhor para o entendimento dessa postagem. Eu achei que fazer uma review desse presente também ajudaria a entender melhor sobre o chá inglês.
Ahmad Tea é uma marca bastante popular e certamente quem já comprou chás ingleses em lojas de souvenirs como uma lembrança da viagem a Londres bem possivelmente tenha comprado dessa marca. A caixa que eu recebi contém 60 sachês de chá embalados individualmente o que ajuda a manter o sabor e o aroma e são divididos em três caixas menores, nomeadas “seleções”.




SELEÇÃO DE CHÁS CLÁSSICOS

Essa é uma seleção de alguns sabores clássicos de chás consumidos na Inglaterra, são todas variedades de chás pretos.




Earl Grey – Esse é um chá que eu aprecio muito, eu já havia provado de outras marcas, mas não especificamente da Ahmad. Trata-se do chá preto com óleo aromático de bergamota. Ele é bastante fragrante, sente-se de longe o aroma típico do earl grey. Ótimo para ser consumido no chá da tarde, recomenda-se ser consumido sem leite, mas eu, particularmente, gosto de adicionar um pouco de leite.

Chá inglês nº1 – Uma exclusividade dessa marca. Trata-se do chá preto com uma infusão leve de óleo de bergamota. Sinceramente eu não senti muita diferença entre esse chá e o breakfast.

Darjeeling Tea – é uma variedade específica de chá preto vinda especialmente de uma região ao redor do Himalaia com um aroma rico e floral. Darjeeling é considerado o champagne do universo dos chás por ser o mais refinado de todos os chás. O ideal é consumi-lo sem leite ou açúcar.

English Breakfast – Esse é o “chá para o café da manhã”, ele é rico em cafeína, o que deve ser levado em consideração na hora de consumir, é o clássico sabor do chá inglês, pode ser consumido com ou sem leite.

SELEÇÃO DE CHÁS PRETOS FRUTAIS

Essa é uma seleção de chás pretos com adição de frutas.


Apple refresh (maçã) – Eu sempre gostei de chá de maçã, mas o chá de maçã e chá preto juntos foi uma novidade para mim. A proposta era fazer um chá preto refrescante, eu achei bastante agradável. Recomendo sem leite.

Pêssego e Maracujá – Eu gostei muito da combinação, sinceramente eu adoro esses dois sabores e logicamente, gostei da combinação, mas eu cometi o erro de adicionar leite, não recomendo.

Strawberry sensation (Morango) – Esse foi definitivamente o meu favorito dessa seleção, se não o meu favorito de toda a seleção, recomendo com leite.

Limão e limão siciliano – Dos sabores frutais esse foi o que gostei menos, não achei que o sabor do chá preto e dos limões casaram bem. O gosto me lembra um pouco produtos de limpeza, o que acontece com algumas bebidas que levam limão na composição. Não recomendo adicionar leite.

SELEÇÃO DE CHÁS VERDES

Como o próprio nome diz, essa é uma seleção de chá verde. Não recomendado adicionar leite a nenhum deles.


Chá verde puro – Aos apreciadores de chá verde esse é um clássico, muito bom, não tem como errar.

Lemon Vitallity (limão siciliano) – Diferente do chá preto, eu achei que o chá verde combinou muito bem com limão siciliano. Muito refrescante e saboroso.

Jasmine Romance (Jasmim) – Definitivamente o meu favorito dessa seleção, muito fragrante e saboroso.

Mint Mystique (menta) – Eu, geralmente, não gosto de nada com sabor de menta, há algumas raras exceções e essa, definitivamente, não foi uma delas. De todos os chás da caixa esse foi o que eu menos apreciei, mais uma questão de gosto pessoal do que de qualidade.

Abaixo um vídeo onde eu explico um pouco mais sobre os chás


Espero que tenham gostado dessa review e que tenha ampliado seus conhecimentos sobre o universo dos chás.


terça-feira, 23 de junho de 2020

Como despertar a magia das fadas em você


Amanhã, dia 24 de junho, é comemorado o Fairy Day, Dia Internacional das Fadas. Desde que eu descobri esse dia, em 2015, por meio do blog Sussurro do Ar, eu o comemoro todos os anos. Bem cedo pela manhã ou na noite anterior eu coloco uma oferenda para as fadas e escrevo uma carta com as coisas pelas quais sou grata, peço desculpas por algo que, eventualmente, eu me arrependo de ter feito e então eu faço os meus pedidos. Sinceramente, eu não me lembro de um único pedido que não tenha sido atendido. Eu acho que sempre tive essa conexão mágica com o universo. Eu sempre senti que todos os meus pedidos fossem atendidos, eu fui ensinada desde criança a ter fé, sendo esse o grande segredo para alcançar o que quer que fosse preciso nessa vida. Fé e religião são coisas bem distintas, eu já mencionei anteriormente que não tenho religião, mas fé eu tenho e muita.



Eu já escrevi anteriormente como atrair fadas para sua vida e aqui um DIY do Mundo das fadas. Hoje eu quero ensinar como despertar os dons de fada dentro de você, como fazer a magia acontecer de dentro para fora, você não precisa praticar todos eles, faça aquilo com o que mais se identificar:

Jardinagem
Fadas amam flores, sempre que se quer atrair fadas recomenda-se usar flores. É muito mais eficaz plantá-las do que arrancá-las. Ver a vida crescendo do solo e sentir em suas mãos essa forma de vida nascendo e crescendo é sempre mágico. Não importa se você decida plantar flores, frutas ou vegetais, a magia das fadas estará com você.

Música
Como elementares do ar, as fadas são diretamente ligadas à música, tanto pelo som como pela inspiração que é dada para a composição. Aqueles que possuem dom para tocar instrumentos musicais ou cantar estão em contato com uma forma poderosa de magia.

Dança
Dançar envolve entrar em contato com o ritmo do universo. Muitas religiões e tradições antigas têm a dança como parte dos seus rituais. Há muita energia fluindo de um corpo em movimento.

Escrita
Como elementares do ar, as fadas estão diretamente ligadas à intelectualidade e energia mental, além do mais as inspirações vêm diretamente dessas criaturas. Palavras são elementos fundamentais num feitiço porque elas têm poder de transformar a realidade. Escreva poemas, histórias, letras de música... Encante o mundo com as suas palavras.

Culinária
Nada mais sagrado do que alimentar alguém. A cozinha é repleta de magia e é de onde as poções mágicas surgem e, sinceramente, eu não consigo aceitar que um ser humano adulto não saiba cozinhar.

Qualquer forma de arte e trabalho manual

A arte cura e nos dá um propósito de vida. Isso não é baboseira de artista, é a realidade. Quantos filmes, livros, pinturas, novelas e até quadrinhos fizeram diferença em nossa vida ou mesmo em nossa sociedade? Deixe a inspiração fluir. Desenhe, pinte, costure, componha... Faça o seu melhor!

Espero que tenham gostado da postagem, que a magia esteja sempre em suas vidas e um feliz dia das fadas a todos!

terça-feira, 16 de junho de 2020

Vamos falar sobre chá?



  1. Chá faz parte da cultura lolita, eu decidi falar isso antes de tudo porque parte do meu blog e da minha vida pessoal tem alguma relação com à moda lolita. E a razão para que o chá faça parte da cultura lolita é devido à inspiração da moda e cultura da Inglaterra Vitoriana. Para qualquer pessoa que se pergunte, por menos conhecedora que ela seja sobre a cultura inglesa, há duas coisas que ela certamente vai relacionar a esse país: o chá e a rainha. Em todo o Reino Unido o consumo diário de chá é de 165 milhões de xícaras por dia, o que é o suficiente para encher 20 piscinas olímpicas, então não é à toa que o chá seja lembrado como algo tipicamente britânico, ou tipicamente inglês, mais do que o café da manhã inglês ou do peixe frito com batatas (fish and chips).





O que é o chá inglês?

O chá mais popular no Brasil é definitivamente o chá mate, o que faz algumas pessoas pensarem que o mesmo chá é consumido no Reino Unido, mas não. O chá mate é um produto típico da América do Sul. Na Inglaterra e em todo o Reino Unido o chá mais consumido é o chá preto. Se você for a um café e pedir chá (sem especificar qual tipo de chá) eles certamente vão trazer chá preto, talvez eles perguntem “English tea?” – “Chá inglês?” para confirmar que você quer chá preto e não outro tipo de chá.
O chá preto é feito da erva Camellia Sinesis, a mesma usada para fazer o chá verde. A diferença entre o chá preto e o chá verde é que o chá preto é secado ao ar livre e por isso as folhas oxidam e se tornam escuras, enquanto o chá verde é secado em ambiente fechado, mantendo assim a coloração verde das folhas por não terem muito contato com oxigênio.
Embora receba o nome de inglês, o clima britânico não é propício para o cultivo de chá, ele foi trazido para a Inglaterra por meio de negociações com a Ásia ou do período de colonização britânica, sendo assim o chá inglês é na verdade asiático.

Chá preto ou chá branco?

Essa é uma pergunta que você pode ouvir ao pedir o seu chá num café ou restaurante. Lembro-me quão confusa eu fiquei a primeira vez que eu ouvi alguém me perguntar isso e respondi “chá preto com leite”, e então a pessoa respondeu “Ah, chá branco então”. Resumindo: O chá preto quer dizer apenas chá preto e chá branco é o chá preto com leite.

Como assim chá com leite?!

O chá preto certamente combina com leite, ele tem um gosto bastante forte e é rico em cafeína. Eu não recomendo que outros chás sejam consumidos com leite, não acredito que nenhum outro combine, mas há algumas variedades do chá preto que também não combinam, na minha opinião. Para os veganos, intolerantes á lactose ou àqueles que não consomem leite por qualquer outro motivo é possível consumir chá preto com algum leite vegetal de sua preferência, ou consumi-lo puro, o que não é nenhum problema.
Essa cultura começou, segundo eu ouvi alguma vezes, devido ao fato de que na China quando se colocava o chá quente sobre a xícara de porcelana ela se quebrava, então passou-se a colocar leite frio na xícara antes de despejar o chá para impedir que a xícara se quebrasse, mas nos dias de hoje as pessoas consomem dessa forma somente pelo sabor, uma vez que a técnica de se fazer xícaras de porcelana foi aperfeiçoada para evitar que isso acontecesse.

A que horas tomamos chá?

Em 1840 a Duquesa de Bedford passou a pedir uma refeição no final da tarde por volta das 5 da tarde, uma vez que ela sentia fome entre o almoço que era servido ao meio-dia e o jantar às 20 horas. A refeição era composta de chá, sanduíches e fatias de bolo o que deu origem ao tradicional chá da tarde britânico, diferente do que se pensa ninguém segue à risca essa proposta de tomar chá da tarde todos os dias às 5 da tarde.
Se você for consumir somente a bebida, pode fazê-lo a qualquer momento do dia. Hoje em dia há diferentes tipos de chá na Inglaterra com níveis diferentes de cafeína, próprios para diferentes momentos do dia. Para o café da manhã é costume ter o breakfast tea, com um nível mais elevado de cafeína, para o período da tarde earl grey (uma variedade de chá preto com uma infusão em óleo de bergamota) e para a noite um chá calmante como camomila ou erva cidreira são mais recomendados.

Marcas brasileiras x marcas inglesas

Há muitos chás bons no Brasil, o chá mate é maravilhoso e eu já encontrei chás de frutas ou de ervas deliciosos, mas quando se trata de chá preto acho que pecamos gravemente. Eu costumava tomar chá preto de uma marca brasileira quando era adolescente e depois de ter provado o chá inglês eu descobri que o chá preto de marcas brasileiras não é bom, nunca provei um que realmente fizesse jus ao sabor do chá preto inglês. Eu recomendo, se possível, que gaste um pouco mais num chá importado de qualidade. Eu acredito que Twinings seja a marca de chá inglês mais conhecida no Brasil, outras marcas igualmente boas são Yorkshire Tea e Ahmad Tea.

Eu espero que tenham gostado da postagem e que possam saborear uma deliciosa xícara de chá.  

sexta-feira, 12 de junho de 2020

Etiqueta vitoriana e eduardina aplicadas à moda lolita (parte 2)

Eu fiquei muito feliz com a repercussão da minha postagem sobre regras de etiquetas vitorianas e eduardinas aplicadas à moda lolita (confira aqui caso ainda não tenha lido), então eu decidi fazer uma segunda parte. Na minha opinião essas regras são bastante úteis para quem deseja usar lolita com mais frequência, porque você não precisa aprisionar os seus vestidos até o próximo encontro, mas como eu disse anteriormente elas também não precisam ser encaradas com tanta rigidez. A proposta é: se uma parte das inspirações na moda lolita são das eras vitorianas e eduardinas, por que não ver o conceitos que se tinha sobre moda nessas épocas?



Além do que a gente já aprendeu sobre como se vestir de acordo com cada momento do dia, o que mais as damas vitorianas e eduardinas podem nos ensinar sobre vestimenta? Vamos ver de acordo com cada situação. 

TRAJE DE PASSEIO 

O traje de passeio vai depender muito da ocasião e do lugar por onde você vai passear. Para a cidade recomenda-se um vestido simples, porém que ainda tenha um toque de riqueza. 

Minha escolha foi esse vestido da Angelic Pretty, simples se levarmos em consideração que as inspirações dessa marca podem ser bem extravagantes, mas ainda com toda a riqueza e delicadeza que uma lolita merece. 

Para o campo é importante que use um bonnet, de palha ou de barbatana de baleia. - Sinceramente fico feliz que não seja mais preciso matar baleias em nome da moda, hoje em dia podemos usar barbatanas de metal e claro que para uma inspiração country lolita o bonnet de palha é muito bem-vindo. De modo geral acho bem adequado usar algo para cobrir a cabeça no campo. 



Tanto no campo quanto na cidade uma capa é necessárias. De tecidos leves quando for verão e de um tecido mais pesado quando for inverno. A capa protege suas roupas da poeira ou de qualquer outro inconveniente que vier a arruinar o seu traje, é um item que praticamente desapareceu dos guarda-roupas da atualidade, mas eu gostaria de usar ao menos uma vez na vida. 

Um modelo que achei apropriado para o verão, podendo ser até mais curto, na minha opinião. 

Convenhamos que esse modelo da Meta é uma fofura! Essa foi minha escolha para uma capa de inverno.

Caso for pegar uma carruagem para visitar alguém a capa pode ser substituída por um xale, seguindo a mesma lógica das capas, recomendá-se lã para os dias frios e algo leve como musseline em dias quentes, os xales também são recomendados para chás da tarde e ocasiões em que esteja em locais fechados - Parece uma ideia estranha para muitas pessoas usar xales com lolita. Existe uma postagem em inglês, sobre como deixar o seu outfit mais "vitoriano" no blog F yeah lolita e que uma das recomendações era para que se usasse um xale, se puder confira aqui. A minha opinião é: xale é uma peça muito elegante, você pode fazer o seu próprio xale se souber costurar, tricotar ou fazer crochê e pode adicionar muita beleza ao seu outfit em diversos diferentes estilos, mas se o xale não te convencer você pode usar um cachecol no inverno, ao invés do xale. 




TRAJE PARA ANDAR À CAVALO 

Eu não conheço lolitas que andem à cavalo e não sei se as que andam o fariam usando um outfit lolita. Bom, andar a cavalo era algo mais comum no século XIX do que que é hoje em dia, mas eu acredito que essas regras podem ser aplicadas a outras situações como andar de bicicleta ou de motocicleta (Talvez você deseje seguir uma gangue de motociclistas no estilo da Momoko de Kamikaze Girls). 

  
Para ocasiões como essa recomendá-se que suas roupas sejam tão compactas quanto for possível. Nada de anáguas muito volumosas ou saias exageradamente longas. 

De alguma forma esse outfit me fez lembrar muito os trajes para cavalgada da era vitoriana. 


TRAJE DE BAILE 

Esse é o momento de mostrar toda a sua beleza e extravagância, mas as regras vitorianas são claras quanto a alguns detalhes. 

1 - Um vestido de baile jamais deve ser confeccionado em cores escuras, deve ser sempre leve e delicado, confeccionado em materiais finos e o mais graciosos possível; 
2 - Deve-se usar luvas longas de modo a cobrir toda a extensão dos braços; 
3 - Meias, sapatos e luvas devem sempre combinar com o vestido; 
4 - Os sapatos em tons metálicos, como dourado e prateado, são fortemente encorajados. 

Esse seria, definitivamente, um perfeito vestido de baile para lolita, seguindo as regras de etiqueta vitorianas e eduardinas.

Luvas longas, como recomendado, essas são da Victorian Maiden.


O sapato é num tom de rosa metálico. O que adiciona um toque de riqueza e beleza ao outfit. 

Eu vou acrescentar um detalhe às regras do vestido de baile que o livro não fala, mas que eu fui ensinada desde sempre. É de fundamental importância vestir-se bem, contudo há ocasiões em que a sua roupa não deve se destacar demais. Nunca tente se vestir de forma mais extravagante que a noiva ou a aniversariante, por exemplo, em ocasiões como essa você deve deixar as estrela principal brilhar mais que você, mas é claro que nos eventos em que você é a protagonista pode-se vestir com toda a extravagância que quiser.

Espero que tenham gostado e que essa postagem tenha sido inspiradora.  

terça-feira, 9 de junho de 2020

Loliday 2020 e meu aniversário

No último sábado, dia 6 de Junho, comemoramos o Loliday (dia internacional da moda lolita). Há duas datas para celebrá-lo, no primeiro sábado de Junho e também no primeiro sábado de Dezembro e assim podemos colocar os nossos melhor outfits de inverno e de verão. Eu sempre adorei que uma dessas datas fosse em junho, pois há sempre uma boa possibilidade de que eles seja celebrado numa data próxima ao meu aniversário (que é dia 7 de junho) e dessa forma eu tenho mais uma razão para usar o meu estilo favorito no meu aniversário. 
Nessa época de pandemia não há muito o que fazer a não ser ficar em casa. Eu vi muitas lolitas desanimadas, já que nós faríamos toda a produção apenas para ficarmos em casa. Nada de chás da tarde em cafés chiques, piqueniques ou qualquer outra celebração. Além do mais há tantas coisas acontecendo no mundo atualmente que nos tiram os sorrisos do rosto. Mortes causadas pelo vírus, mortes causadas por racismo, crises políticas, estar longe das pessoas que amamos... Esse tem sido um ano difícil! 
Há dias em que eu não tenho vontade de sair do quarto, mas há dias em que eu visto o meu melhor vestido e faço um penteado elegante apenas para me sentir bem. Eu decidi fazer de conta que nenhum problema existia no mundo apenas para comemorar o loliday e o meu aniversário. 

Essas foram as fotos do meu loliday.



Eu tinha planejado tirar fotos no jardim do prédio onde eu moro, já que recentemente plantaram rosas de diversas cores, mas depois de três fins de semana ensolarados Londres decidiu voltar ao seu clima londrino, sendo frio, cinza e chuvoso, justamente no primeiro fim de semana de Junho. Apenas Londres sendo Londres. Então essas foram as fotos tiradas dentro do quarto mesmo. Pedimos pizza e sorvete pelo Deliveroo e eu forcei o meu marido, digo, convenci o meu marido a assistir Kamikaze Girls comigo. Ele até que curtiu o filme, não esperava que um filme sobre lolitas fosse ter gangues de motocicletas e a máfia japonesa no enredo.
No domingo eu pude finalmente abrir os meus presentes e nós tomamos chá da tarde (ao modo tradicional inglês). Vou mostrar os presentes que eu recebi.


Bebidas alcoólicas são um presente muito comum no Reino Unido, mais do que no Brasil. Eu já mencionei anteriormente que uma boa parte da cultura britânica envolve álcool. Meus sogros enviaram dinheiro para o meu marido com um recado "Compre um bom gim para a Luana e o que mais ela gostar". Na foto, da esquerda para a direita: cachaça brasileira, gim feito em Yorkshire com sabor de chá e   gim com sabor de cacau e laranja. 


Uma seleção de chás. São 60 sachês com tipos variados de chá preto e chá verde, aguardem porque eu vou fazer uma postagem fazendo uma review desses chás e explicando sobre o chá inglês. 


Trufas de chocolate. 


E mais quatro livros que incluem: 1984 e Revolução animal do George Owell, Guerra e Paz do Tolstoy e um livro sobre existencialismo do Sartre. 

Faltou uma foto do meu vestido da Angelic Pretty, mas eu vou voltar como uma postagem inteira somente sobre ele. 

E como vocês passaram o loliday? Vocês o celebraram de alguma forma?




sexta-feira, 5 de junho de 2020

Headdress em crochê

Eu me mudei definitivamente para o Reino Unido em Agosto de 2019 e eu só podia trazer duas malas com tudo o que eu fosse precisar. Que decisão difícil! Roupas para o dia a dia, para uma provável ocasião especial, roupas de verão e de inverno, meu vestido de noiva e tudo o mais o que eu fosse precisar em apenas duas malas. Minha vida em duas malas! 
Eu trouxe algumas peças lolita, mas não trouxe o guarda-roupa todo, é lógico. Tínhamos planejado uma viagem para o Brasil em Março, que cancelamos uma semana antes devido à pandemia. Eu já tinha me preparado para deixar espaço na mala e encher com o máximo de lolitagem que eu pudesse, porque tudo o que eu tenho no Brasil está na casa da minha mãe atualmente. É claro que isso não veio a acontecer. Nem faço ideia de quando eu poderei viajar novamente para o Brasil ou para qualquer outro lugar.
Antes que tudo isso começasse, entre o fim de Dezembro e início de Janeiro a Kássia veio para Londres e combinamos de nos encontrar. Até então eu só a conhecia por Facebook. A minha amiga Jaqueline (a Dama do Cerrado) já a conhecia pessoalmente. Quando a Kássia me convidou para tomar chá da tarde eu fiquei super-animada, mas aí surgiu um problema. Eu não tinha nenhum acessório de cabelo para usar, mas eu tinha um novelo de linha de algodão que tinha sobrado de um projeto e era quase da mesma cor do vestido e um punhado de fitas que minha sogra tinha me dado (ela também é artesã). 
Visitando o site do Pinterest eu tive a ideia de fazer um "headdress", nada parecido com um headdress tradicional, mas algo que pudesse ser usável com lolita. Esse foi o resultado: 



Para esse headdress eu me inspirei nesse modelo (à baixo), mas fiz uma pequena modificação. Eu segui somente até a penúltima carreira. Achei que o resultado ficou melhor do que seguindo todo o gráfico. 


Eu iniciei o trabalho com 54 correntinhas, que é três vez o que apresenta a amostra do gráfico. Bom esse gráfico é de uma tiara de cabelo para bebês ou crianças muito pequenas e ele geralmente é feito com linha mais fina e uma agulha menor, mas eu logo pensei que usar uma linha mais grossa e uma agulha maior daria as dimensões que eu precisava. Usei linha Alba (marca britânica) e agulha de crochê 3,5mm e fiz duas flores ao invés de uma. Uma para cada ponta do headdress e transpassei com uma fita de gorgorão. 
Talvez essa não tenha sido a peça mais lolitável do mundo, mas era o que eu poderia fazer com o tempo que eu tinha e, sinceramente, eu gostei muito do resultado. 

Segue abaixo fotos do dia e do outfit completo. 



Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Luana Madrepérola (@docemadreperola) em

Depois de ter passado o evento eu decidi acrescentar um item a mais nesse headdress que foram essas rosas de fita que eu comprei numa loja de artesanato. Eu gostei mais com as rosas do que sem elas. Achei que deu um toque a mais de beleza. 



Provavelmente eu vou usar o mesmo outfit para celebrar o loliday, dia internacional da moda lolita, por ser parte das poucas peças que eu trouxe, mas é importante se trajar de acordo nesse dia. 

Eu espero que tenham gostado da postagem e que todos tenham um maravilhoso loliday!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...