Sobre mim

Minha foto
Uma dama que aprecia arte em todas as suas formas. Repleta de sonhos, imaginação e poesia.

AF&LBN

AF&LBN

Marcadores

Eu recomendo:

Arquivo do blog

Facebook

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Cartas Vitorianas



A respeitável dama vitoriana tinha a habilidade de escrever cartas bonitas e atrativas para seus leitores. Escrever cartas não significava apenas comunicação, era essencialmente o único meio de troca de informações e notícias. Era também uma obrigação social, um talento que uma mulher esperava adquirir e cultivar, naturalmente ou pela prática.
Os itens básicos para escrita de cartas eram papel, lápis, pena, tinta, envelopes, selos e o lacre de cera. O tipo correto de material era crucial para fornecer uma boa impressão, mas a definição do melhor material foi mudando ao longo das décadas. Papéis coloridos e com flores nos cantos eram comuns em meados de 1850, mas na virada do século eles saíram de moda, passou-se a se usar apenas papel matizado nas cores branco e creme e a folha sem pautas era considerada de bom gosto.
Materiais com monogramas estavam em voga nos anos de 1800, mas saíram de moda no fim do século e eram considerados cafonas.

Alguns conselhos específicos serviam para todos os tipos de cartas que se desejava escrever. Aqui seguem algumas dicas do que fazer e o que não fazer:

- Não escreva cartas anônimas;
- Não escreva cartas privadas num cartão postal;
- Não use papel pautado para cartas formais;
- Não use a metade do papel apenas para economizar;
- Não sublinhe palavras;
- Não apague as palavras escritas de forma errada numa carta importante, reinicie a carta;
- Não use Post Script (P.S.), exceto para amigos íntimos;
- Use um parágrafo diferente para cada assunto;
- Não dobre novamente a carta, certifique-se que ela foi dobrada corretamente da primeira vez;
- Leia a carta cuidadosamente antes de enviá-la.

Nesses tempos de computadores e e-mails é difícil lembrar que alguns autores aclamados da literatura chegavam a escrever alguns volumes de um romance através das cartas mais obscuras, escrevendo cada palavra à mão. Quando estavam inspirados, os escritores do século XIX, pegavam suas penas, mergulhavam no tinteiro e deixavam suas ideias fluírem pelo papel.


O artigo original é de autoria de Kari Geiger com o título “With pen in hand”, publicado na revista “Victorian Decoration & Lifestyle” em Março de 2000. Porém eu o encontrei no Live Journal, na comunidade Lolita Letters com o título “Victorian Letter Writting”. A tradução foi feita por mim.

É uma boa oportunidade para rever a postagem Cartas antigas que ensina a deixar o papel com aspecto de envelhecido.

Imagem: We heart it

4 pérolas:

Infelizmente um costume que caiu no esquecimento, mas certamente as cartas sempre terão um charme especial, alguns dos meus livros favoritos contém troca de cartas, Persuasão de Jane Austem tem uma linda declaração de amor, ou o que seria dos livros Frankenstein, Drácula sem as cartas trocadas entre os amigos, ou a carta de Della Wetherby para Mrs. Chilton, pedindo para tomar conta da jovem Pollyanna, como pretexto para a jovenzinha curar o mau humor crônico de sua irmã no livro Pollyanna moça. Enfim o que seria da boa e velha literatura sem as cartas. Bem interessante o texto seu.
Um abraço

Nana disse...

Esse texto me fez sentir um calorzinho no peito <3
Adoro seus posts sobre esses assuntos, e sempre que me sobra tempo, gosto de escrever cartas para o meu namorado, e o melhor de tudo é que sempre ele responde por carta também <3
É meio triste a internet estar crescendo tanto, e as pessoas perderem esse costume tão atencioso de se dedicar um tempo em escrever algo a mão para alguém que se ama <3
Mil beijinhos, Luana!

Ju Lee disse...

Escrever e receber cartas e otimo, nao sei como deixei de ter esse habito...

Otimo post! Muito util.

Ps. Estou sem acentos aqui.

Heidi disse...

Obrigada pela tradução!
Eu costumava ler a EGL desde 2006, mas não fazia parte da Lolita Letters e nunca entrei em contato com esse texto. Me bateu uma nostalgia de ler essas coisas mais sobre os anos belos do século XIX e suas damas! Que saudade boa ♥♥

Se eu fosse escrever uma carta, iria adorar ter papéis com flores, e um monograma para assinar. Eu ainda envio cartas para algumas amigas, mas é uma coisa rara, e nunca cheguei perto de uma caneta tinteiro... To longe de chegar perto do vitorianismo que eu gostaria ^^ mas amei ler a respeito!
beijinhos
~H

Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Livro

Livro
Para quem deseja adquirir o livro "As donzelas e as sombras" de Luana Madrepérola, também autora do blog Doce Madrepérola. Clique na imagem.

Seguidores

Postagens populares

Heart it

Instagram