segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Cadáver/ Corpse


Aquele não era um simples cadáver como aqueles que eu enterrei na areia ou joguei nas águas. Ele era digno de uma cova bem funda e uma lápide de ouro. Eu deveria fabricar um caixão bem resistente e encomendar sua alma para que não viesse atormentar minhas noites de sono tranquilo.

E como foi difícil sepultá-lo! Ele estava quente em meus braços, tão apegado a mim... Eu não quis soltá-lo. Ainda em vida ele me disse que cadáveres cheiram mal e ele sempre esteve certo. Porém o cheiro pútrido não exalava dele e sim de mim. Minha alma pútrida estava corroída pelos meus erros.

Quando ele morreu eu morri ao mesmo tempo e agora sou uma alma penada que continua viva vagando pela cidade. Como eu queria te ressuscitar, meu querido cadáver, mas a minha vida continua enquanto a sua se foi e o que ficou foi o calor dos teus braços ao redor do meu corpo.

That was not a simple corpse like the others which I buried in the sand or threw in water. He was well worthy of a deep pit and a gold tombstone. I should make a durable coffin and order the soul for he didn’t come disturb my nights of restful sleep.

It was so difficult grave him! He was warm in my arms, so attached to me… I didn’t want to loose him. During his lifetime he told me corpses stink and he was always sure. However the putrid smell was not from him, it was from me. My putrid soul was corroded by my mistakes.

When he died I died in the same time and now I’m ghost soul which is still alive walking in the city. I’d really liked to resurrect you, my dear corpse, but my life carries on while yours is gone and what stayed here is the warm of your arms around my body.

Nota: Eu sei que normalmente posto coisas bonitinhas por aqui, mas acho que coisas sinistras também são belas. Essa foi uma crônica que eu escrevi e quis compartilhar.

Note: I know I normally post cute things here, but I think sinister things are also pretty. This was a story which I wrote and wanted to share.

Imagem/Picture: The Death by Henry Wallis

3 comentários:

★★ GIZA ★★ disse...

obrigado por seguir
desculpe, realmente não conheço bem a cultura lolita, aquele post foi somente uma homenagem mesmo...
beijos

luanebulosa disse...

esse post me lembra um pouco o começo do livro violino da anne rice, ele é bem denso e a protagonista tem a personalidade bem diferente dos personagens dela criados para suas crônicas vampirescas.

confesso que é um pouco estranho ver um texto mais sombrio seu, mas é preciso lembrar que existe uma beleza exótica nas pérolas negras.

Butterfly姫 disse...

Luana, fiquei surpresa ao ver o quão bem você escreve.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...